0

Períodos históricos da Enfermagem

Período Pré Cristão

No período Pré-Cristão as doenças eram tidas como um castigo de Deus ou resultavam do poder do demônio.
Por isso os sacerdotes ou feiticeiras acumulavam funções de médicos e enfermeiros.
O tratamento consistia em aplacar as divindades, afastando os maus espíritos por meio de sacrifícios.
Usavam-se: massagens, banho de água fria ou quente, purgativos, substâncias provocadoras de náuseas.
 Mais tarde os sacerdotes adquiriram conhecimentos sobre plantas medicinais e passaram a ensinar pessoas,
delegando-lhes funções de enfermeiros e farmacêuticos.
Alguns papiros, inscrições, monumentos, livros de orientações política e religiosas,
ruínas de aquedutos e outras descobertas nos permitem formar uma idéia do tratamento dos doentes.



 Período do Cristianismo

O cristianismo foi a maior revolução social de todos os tempos.
 Influiu positivamente através da reforma dos indivíduos e da família.
Os cristãos praticavam uma tal caridade,que movia os pagãos:

"vede como eles se amam"
 Desde o início do cristianismo os pobres e enfermos foram objeto de
cuidados especiais por parte da Igreja. Pedro, o apóstolo, ordenou diáconos
para socorrerem os necessitados. As diaconisas prestavam igual assistência às mulheres.
Os cristãos até então perseguidos, receberam no ano 335 pelo Edito de Milão, do imperador Constantino,
a liberação para que a Igreja exercesse suas obras assistenciais e atividades religiosas.
Houve uma profunda modificação na assistência aos doentes
 - os enfermos eram recolhidos às diaconias, que eram casas particulares, ou aos hospitais organizados
 para assistência a todo tipo de necessitados.


 Enfermagem Moderna

O avanço da Medicina vem favorecer a reorganização dos hospitais.
E na reorganização da Instituição Hospitalar e no posicionamento do médico
 como principal responsável por esta reordenação, que vamos encontrar as raízes
do processo de disciplina e seus reflexos na Enfermagem, ao ressurgir da fase sombria
em que esteve submersa até então.


 Período Florence Nightingale

Nascida a 12 de maio de 1820, em Florença, Itália, era filha de ingleses.
 Possuía inteligência incomum, tenacidade de propósitos, determinação e perseverança
 - o que lhe permitia dialogar com políticos e oficiais do Exército, fazendo prevalecer suas idéias.
Dominava com facilidade o inglês, o francês, o alemão, o italiano, além do grego e latim.


 Anna Nery

Aos 13 de dezembro de 1814, nasceu Ana Justina Ferreira, na Cidade de Cachoeira, na Província da Bahia.
Casou-se com Isidoro Antonio Nery, enviuvando aos 30 anos.
Seus dois filhos, um médico militar e um oficial do exército, são convocados a servir a Pátria
durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), sob a presidência de Solano Lopes.
O mais jovem, aluno do 6º ano de Medicina, oferece seus serviços médicos em prol dos brasileiros.
Anna Nery não resiste à separação da família e escreve ao Presidente da Província, colocando-se à disposição de sua Pátria.
 Em 15 de agosto parte para os campos de batalha, onde dois de seus irmãos também lutavam.
Improvisa hospitais e não mede esforços no atendimento aos feridos.
Após cinco anos, retorna ao Brasil, é acolhida com carinho e louvor, recebe uma coroa de louros e Victor Meireles pinta sua imagem,
 que é colocada no edifício do Paço Municipal.


 Desenvolvimento da Educação em Enfermagem no Brasil (Séc. XIX)

Ao final do século XIX, apesar de o Brasil ainda ser um imenso território com um contigente populacional pouco e disperso,
 um processo de urbanização lento e progressivo já se fazia sentir nas cidades que possuíam áreas de mercado mais intensas,
como São Paulo e Rio de Janeiro.
As doenças infecto-contagiosas, trazidas pelos europeus e pelos escravos africanos, começam a propagar-se rápida e progressivamente.
A questão saúde passa a constituir um problema econômico-social. Para deter esta escalada que ameaçava a expansão comercial brasileira,
o governo, sob pressões externas, assume a assistência à saúde através da criação de serviços públicos,
 da vigilância e do controle mais eficaz sobre os portos, inclusive estabelecendo quarentena revitaliza,
através da reforma Oswaldo Cruz introduzida em 1904, a Diretoria-Geral de Saúde Pública, incorporando novos elementos à estrutura
sanitária, como o Serviço de Profilaxia da Febre Amarela, a Inspetoria de Isolamento e Desinfecção e o Instituto Soroterápico Federal,
que posteriormente veio se transformar no Instituto Oswaldo Cruz.
Mais tarde, a Reforma Carlos Chagas (1920), numa tentativa de reorganização dos serviços de saúde,
cria o Departamento Nacional de Saúde Pública, Órgão que, durante anos, exerceu ação normativa e executiva
 das atividades de Saúde Pública no Brasil.
A formação de pessoal de Enfermagem para atender inicialmente aos hospitais civis e militares e, posteriormente,
 às atividades de saúde pública, principiou com a criação, pelo governo, da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras,
 no Rio de Janeiro, junto ao Hospital Nacional de Alienados do Ministério dos Negócios do Interior.
Esta escola, que é de fato a primeira escola de Enfermagem brasileira,
foi criada pelo Decreto Federal nº 791, de 27 de setembro de 1890,
e denomina-se hoje Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, pertencendo à Universidade do Rio de Janeiro - UNI-RIO.


Nenhum comentário:

Postar um comentário