1

"Infarto Agudo do Miocárdio"

SISTEMA CARDIOVASCULAR(Voltado para clinica médica)


Definição

Infarto Agudo do Miocárdio 


 O infarto agudo do miocárdio (IAM) é uma situação grave causado pelo estreitamento de uma artéria coronária pela aterosclerose, ou pela obstrução total de uma coronária por êmbolo ou trombo, ocasionando a necrose de áreas do miocárdio. 
É a redução do fluxo sanguíneo também pode ser resultante de choque ou hemorragias Pode ser confundida com sintomas mais corriqueiros, tais como: flatulência, dor muscular, tensões, dentre outros. Vale lembrar que na angina o suprimento de sangue é reduzido temporariamente, provocando a dor, enquanto no IAM ocorre uma interrupção abrupta do fluxo de sangue para o miocárdio.

Fatores de risco para aterosclerose (fatores de risco cardiovascular)
O risco de ocorrer aterosclerose aumenta com a hipertensão arterial, níveis sanguíneos elevados de “colesterol ruim” (LDL-colesterol), níveis baixos de “colesterol bom” (HDL-colesterol), tabagismo, diabetes mellitus, obesidade (principalmente da cintura para cima ou abdominal), sedentarismo, estresse psicossocial, envelhecimento e a hereditariedade.
Sintomas:
Em geral, a aterosclerose não causa sintomas até haver produzido um estreitamento importante da artéria ou até provocar uma obstrução súbita. Os sintomas dependem do local de desenvolvimento da aterosclerose. Por essa razão, eles podem refletir problemas no coração, no cérebro, nos membros inferiores ou em praticamente qualquer região do corpo.
Prevenção e Tratamento:
Para evitar a aterosclerose, devem ser eliminados os fatores de risco controláveis: níveis sanguíneos elevados de colesterol, hipertensão arterial, tabagismo, obesidade e falta de exercício.
Medidas gerais:
Reduzir a ingestão de gorduras e colesterol.
Parar de fumar.
Controle dietético.
Tratamento de doenças como diabetes e hipertensão.
Manifestações Clínicas:
Dor torácica (principal sintoma) - dor súbita, subesternal, constante e constritiva, que pode ou não se irradiar para várias partes do corpo, como a mandíbula, costas, pescoço e membros superiores (especialmente a face interna do membro superior esquerdo). Muitas vezes, a dor é acompanhada de taquipnéia, taquisfigmia, palidez, sudorese fria e pegajosa, tonteira, confusão mental, náusea e vômito.
Qualidade, localização e intensidade da dor associada ao IAM pode ser semelhante à dor provocada pela angina. As principais diferenças são: a dor do IAM é mais intensa; não é necessariamente produzida por esforço físico e não é aliviada por repouso.
Diagnóstico:
   O Geralmente se baseia na história da doença atual, no eletrocardiograma e nos níveis séricos (sangüíneos) das enzimas cardíacas.
O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico, dependendo da extensão e da área acometida.

Cuidados de Enfermagem:

Proporcionar um ambiente adequado para o repouso físico e mental;
Fornecer oxigênio e administrar opiáceos (analgésico e sedativo) e ansiolíticos prescritos para alívio da dor e diminuição da ansiedade;
Prevenir complicações, observando sinais vitais, estado de consciência, alimentação adequada, eliminações urinária e intestinal e administração de trombolíticos prescritos;
Auxiliar nos exames complementares, como eletrocardiograma, dosagem das enzimas no sangue, ecocardiograma, dentre outros;
Atuar na reabilitação, fornecendo informações para que o cliente possa dar continuidade ao uso dos medicamentos, controlar os fatores de risco, facilitando, assim, o ajuste interpessoal, minimizando seus medos e ansiedades...
Fica mas uma das doenças do "SISTEMA CARDIOVASCULAR"
Beijos no coração!

Um comentário:

  1. Conhecer os primeiros sinais de um infarto salvou a vida do meu sogro. Esses conhecimentos, além dos cuidados para evitar doenças cardiovasculares podem salvar vidas. Por isso mesmo compartilhamos essa informação online em meu site.

    ResponderExcluir