0

ACINETOBACTER - Bactérias

http://enfermageandotc21.blogspot.com.br/
Oi bom dia,como vai?
Estou estudando essa bactéria muito resistente e contagiosa,infelizmente nos deparamos com ela no local onde trabalho,foi necessário varias medidas submetendo os clientes ao isolamento entre outras,para combater essa terrível,terrível,terrível, bactéria,por isso trouxe essa pesquisa ao blog,para que tomem conhecimento.

Acinetobacter é um grupo de bactérias comumente encontradas no solo e na água.
Os micro-organismos do gênero Acinetobacter são bacilos Gram-negativos, que se apresentam como coco-bacilos na fase estacionária de crescimento e em meios não seletivos, imóveis, aeróbios estritos, não formadores de esporos.

Várias espécies de Acinetobacter já foram reconhecidas e descritas:
 Acinetobacter calcoaceticus,
 A. baumannii,
 A. haemolyticus,
 A. junii
 A. johnsonii,
 A. lwoffii,
 A. radioresistens

Quando se identifica este microrganismo em doentes com sondas ou cateteres será suficiente muitas vezes proceder apenas à substituição do material colonizado, sendo desnecessário cursos prolongados de antibióticos. De igual forma, se num produto biológico normalmente não estéril (por ex: secreções traqueobrônquicas) forem identificados diferentes microrganismos, entre os quais se inclua o Acinetobacter, desconhece-se qual o seu verdadeiro potencial patogênico, sendo aceitável protelar o tratamento desta bactéria, conferindo prioridade aos outros agentes infecciosos mais virulentos.
Outras espécies não denominadas,todos podem causar infecção nos seres humanos ,o Acinetobacter Baumannii é encontrado em 80% dos casos,segundo o CDC.

Apesar da preferência das bactérias Gram - por ambientes úmidos, Acinetobacter sp pode sobreviver em locais secos,como chão, colchões, mesas, luvas, termômetros, fluxômetros, travesseiros e materiais de fórmica,como prontuários, por até 13 dias.

Acinetobacter baumannii pode ter alto grau de hidrofobicidade,com capacidade de aderir a plásticos, inclusive superfícies de cateteres, tubos endotraqueais e outros materiais desse tipo.

Acinetobacter sp também pode ser encontrado em fontes úmidas no ambiente hospitalar, tais como válvulas e circuitos de ventiladores mecânicos, umidificadores.

Sintomas da infecção:
O acinetobacter pode causar uma grande variedade de doenças, pneumonia,sepse, infecções de pele e feridas infectadas, e os sintomas variam de acordo com o local da infecção .

Acinetobacter pode colonizar pacientes sadios e também pacientes com traqueostomia e feridas abertas.

Transmissão: 
Alto risco para pacientes com alterações no sistema imune, pacientes com enfermidades pulmonares crônicas e diabéticos.
Paciente  hospitalizados criticamente enfermos,sob ventilação mecânica,que apresentam feridas abertas e que possuem dispositivos invasivos, apresentam grande risco de contraírem a infecção por acinetobacter.

Prevenção:
Como o acinetobacter vive na pele e pode sobreviver vários dias,devemos tomar muito cuidados  nos procedimentos invasivos,principalmente com isolamento de contato e cuidados com todos os matérias usados com o paciente e "principalmente a lavagem das mãos"


Tratamento:
Acinetobacter pode apresentar diversos mecanismos de resistência.
Apenas rigorosas medidas de controlo de infecção permitem combater este microrganismo.
A Comissão de Antibióticos dos HUC recomenda os seguintes esquemas terapêuticos para as infecções por Acinetobacter, em adultos com peso ≥60 kg e função renal normal: 

Quando existir sensibilidade “in vitro” aos carbapenemos e amino sídeos 
Meropenemo EV, 1g cada 8 horas, associado à Amicacina EV, dose única de 1g cada 24 horas (ou Tobramicina EV, dose única de 320 mg cada 24 horas). 
Quando apenas existe sensibilidade “in vitro” aos amino sídeos 
Sulbactam EV, 1g cada 6-8 horas, associado à Amicacina EV, dose única de 1g cada 24 horas (ou Tobramicina EV, dose única de 320 mg cada 24 horas). 
Quando houver resistência a TODOS os antibióticos 
Colistina EV, 2 milhões de unidades cada 8 horas, associada ao Sulbactam EV, 1g cada 6-8 horas. 

O tempo de tratamento ideal é desconhecido, devendo ser individualizado e adaptado ao tipo de infecção, não se justificando prolongá-lo por mais de 2-3 semanas.
Polimixina B 10.000UI/kg (IV) "antibioticoterapia"


****************************************************
Beijos no coração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário