0

Dopamina

Enfermageando por amor
Bom dia pessoas,é sempre bom aumentar nossos conhecimentos,e nessa área o maior medo dos estagiários é em relação a medicamentos,eu cito eles porque eles comentam mas a realidade é que mesmo os formados em enfermagem tem um certo receio,eu digo por experiencia própria e quer saber na duvida sempre pergunte antes de fazer ok "isso sim é sabedoria."

Atua diretamente nos receptores B1 do coração, aumentando a força de contração do músculo cardíaco.
 Ativação de receptores dopaminérgicos resulta em vasodilatação das artérias:
•Renais
•Cerebrais
•Mesentéricas
•Coronárias

Dose:
0,2 a 3,0 mg/kg Utilizada para aumento do fluxo sanguíneo renal e aumento do volume urinário. 3,0 a 10,0 mg/kg

Efeitos beta- adrenérgicos: taquicardia, aumento do retorno venoso e queda da resistência vascular Sistêmica. 10,0 mg/kg

 Efeitos predominantes alfa- adrenérgicos com vasoconstricção sistêmica, aumento da pressão Arterial.

Indicações
• Baixo débito com volemia controlada ou aumentada.
• Oligúria persistente com parâmetros hemodinâmicos estáveis.

Contra indicações
• Deficiência congênita de glicose-6-fosfato desidrogenase.
• Intolerância aos derivados.

Reações adversas
• Náuseas
• Vômitos
• Arritmias
• Agravamento da vasoconstrição pulmonar

Apresentação 
• 1 ampola 5mg/ml

Diluição 
• 5 ampolas em 200 ml de solução
• SG 5%, SF 0,9%, SG 10%, Ringer

 Estabilidade
 • 24 horas da diluição protegida da luz

Cuidados de enfermagem
• Administração em veia de grosso calibre.
• Administrar em BIC.
• Rigor no gotejamento – efeitos dose dependentes.
• Manter extremidades do paciente aquecidas.

Beijos carinhosos no coração de todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário