Mostrando postagens com marcador Sistema respiratório. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sistema respiratório. Mostrar todas as postagens
0

Embolia pulmonar

sistema respiratório (Voltado para clinica médica)
É uma complicação das doenças cardiopulmonares e a causa mais frequente é o desprendimento de um trombo que “viaja” através da circulação, obstruindo a circulação pulmonar;

As principais causas, são: bolhas de ar, gotas de gordura, fragmentos de tumor, imobilidade no leito.
Forças mecânicas, como movimentos musculares súbitos, mudanças de velocidade do fluxo sanguíneo, podem ocasionar a desintegração e o desprendimento de trombos das paredes dos vasos sanguíneos.Esses êmbolos são então, transportados pela corrente sanguínea, atravessam o coração e atingem o leito vascular pulmonar até se alojarem em um vaso que não lhes permite passagem. O efeito final depende do tamanho e do número de êmbolos.

Bom pessoas,finalizando o sistema respiratório essa foi nossa ultima patologia desse sistema, mas tem mas não fiquem tristes,vou me organizar e trazer o sistema digestório, neurológico que pra min e o mas interessante de todos, não me perguntem porque,eu gosto!
Boa tarde,beijo no coração!
0

Derrame pleural

                                                  Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

O derrame pleural é o acúmulo anormal de líquido no espaço pleural.
Normalmente, somente uma pequena quantidade de líquido separa as duas membranas da pleura.
Pode ocorrer o acúmulo de uma quantidade excessiva de líquido por muitas razões, incluindo a insuficiência cardíaca, a cirrose hepática e a pneumonia.
Outros tipos de líquido que podem se acumular no espaço pleural incluem sangue, pus, líquido leitoso e líquido rico em colesterol.
O sangue no espaço pleural (hemotórax) geralmente é decorrente de uma lesão torácica.

Sinais e sintomas
Os sintomas mais comuns, independente do tipo de líquido presente no espaço pleural ou de sua causa, são:
Dificuldade respiratória;
Dor torácica.
 No entanto, muitos indivíduos com derrame pleural não apresentam qualquer sintoma.

Diagnóstico
Uma radiografia torácica mostrando a presença de líquido é geralmente o primeiro passo para o estabelecimento do diagnóstico.
A tomografia computadorizada (TC) mostra mais nitidamente o pulmão e o líquido, e pode revelar a presença de uma pneumonia, de um abcesso pulmonar ou de tumor.

Tratamento
Os derrames pleurais pequenos podem necessitar apenas do tratamento da causa subjacente.
Os derrames maiores, especialmente aqueles que produzem dificuldade respiratória, podem exigir a retirada do líquido (drenagem).
Normalmente, a drenagem alivia significativamente a dificuldade respiratória (permite a remoção de até 1,5 litro de líquido de cada vez).

Boa tarde!
0

Hemoptise

                                                   Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

É definida como a expectoração de sangue proveniente do parênquima pulmonar ou das vias áreas inferiores.

Dados Importantes na Anamnese:
Uso de Anticoagulante Oral;
Uso de drogas ilícitas;
Febre, sudorese, perda de peso;
Tabagismo;
Secreção purulenta  associada ao sangramento;
Dispneia aos esforços;

Dados importantes de Exame Físico
Rouquidão;
Baqueteamento digital;
Edema de MMII;
Alterações da orofaringe e rinofaringe.
A história pode determinar a existência de doença pré-existente (p. ex. Tuberculose, carcinoma brônquico), duração e volume aproximado do sangramento e número de episódios semelhantes. Muitas vezes o paciente informa com precisão o lado do sangramento.

O exame físico poucas vezes ajuda no estabelecimento da causa do sangramento.


Tratamento:
tratamento de sua etiologia.
Procedimento cirúrgico para aplacar a hemorragia; broncoscopia ;
Remoção  cirúrgica do segmento lesionado do pulmão.

Boa tarde,beijos no coração!
0

Pneumotórax

Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

Consiste no acúmulo de ar no espaço pleural. Ele pode ser formado a partir da comunicação do parênquima pulmonar ou meio externo com o espaço pleural.
 Pode ser definido como simples, hipertensivo ou aberto.
 Pneumotórax Simples – acúmulo de ar no espaço pleural que não desvia o mediastino para o lado contralateral.
 Pneumotórax Hipertensivo – cursa com desvio importante do mediastino para o lado contralateral associado a uma pressão pleural elevada.

Sinais e Sintomas
 Dor torácica e dispnéia são os principais  sintomas.
Tratamento
 Toracocentese;
Drenagem Pleural fechada;
Tratamento Cirúrgico.
Hemoptise
É definida como a expectoração de sangue proveniente do parênquima pulmonar ou das vias áreas inferiores.
Dados Importantes na Anamnese:
 Uso de Anticoagulante Oral;
Uso de drogas ilícitas;
Febre, sudorese, perda de peso;

Boa tarde pessoas,hoje vamos dar continuidade ao sistema respiratório que não deu tempo de terminar e eu fiquei devendo então bora terminar que hoje vai dar tempo.
beijo no coração me liga!

0

EDEMA AGUDO DE PULMÃO

                                                     Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)
 É um aumento súbito na pressão dos capilares pulmonares, levando ao extravasamento de líquido para os alvéolos, deixando o pulmão menos elástico e com menos superfície de contato para troca de gases, manifestando-se por dificuldade respiratória.
 É um quadro clínico crítico, decorrente da incapacidade do ventrículo esquerdo em bombear o sangue para válvula aórtica, causando um acúmulo de líquido nos pulmões.

Manifestações Clínicas:
Dispnéia;
Tosse, produzindo um escarro espumoso e tingido muitas vezes de sangue (aspecto rosado),
Taquicardia,
Pele cianótica, fria e úmida,
Inquietação
Ansiedade.

Tratamento
 Morfina;
Diuréticos;
Digitálicos.


Cuidados de Enfermagem:

 Manutenção de seu conforto, colocando-o em posição elevada para diminuir o retorno venoso e propiciar uma máxima expansão pulmonar;
Controle dos sinais vitais;
Administração de oxigenoterapia e de medicações, conforme prescrição médica.
Manutenção de via venosa pérvia com gotejamento mínimo, evitando sobrecarga volêmica;
Monitorização do fluxo urinário.
Boa noite!
2

Insuficiência Respiratória Aguda

                                   Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

Ocorre quando o organismo não realiza a troca de oxigênio por dióxido de carbono adequadamente, isto faz com que o nível de dióxido de carbono (CO2) se eleve e o de oxigênio (O2) diminua, causando hipóxia

É a incapacidade do sistema em manter uma troca gasosa adequada e níveis normais dos gases sanguíneos, ameaçando a vida do paciente.
Tipos:


- Aguda: é a falência respiratória  que surge nos pacientes cujos pulmões  eram estrutural e funcionalmente normais, ocorre  rapidamente.
 - Crônica: é a falência respiratória  que surge nos pacientes com doença pulmonar  crônica, surge em período de meses ou  anos.
Sinais e Sintomas


- ↑ FC (Freqüência Cardíaca)
- ↑ FR (Freqüência respiratória)
- Hipóxia (dispnéia, taquipnéia, hipotensão,  taquicardia, bradicardia, arritmias, cianose) -  Desorientação,
queda do nível de consciência, agitação  psicomotora)
- Uso de músculos acessórios da respiração
- Sudorese

Tratamento:
 - Cânula orofaríngea (Guedel): dispositivo  de borracha para ser introduzido na boca  evitando o deslocamento da língua.
- Cânula naso-faríngea: dispositivo de  borracha para ser introduzido pelo nariz.
- Monitorização: oxímetro de pulso e  monitor cardíaco.
- Oxigenoterapia: administração de oxigênio  quando o paciente está com hipóxia.

Antibióticos;
Broncodilatadores;
Corticoesteróides;
Fisioterapia respiratória.

Cuidados de enfermagem
 oxigenoterapia;
Manter decúbito elevado para maior expansão torácica;
Manter oxímetro de pulso;
Avaliar sinais vitais de 4/4h;
Avaliar nível de consciência;
Suporte psicossocial;
Suporte nutricional, caso paciente seja entubado, SNE.
Boa noite!
0

PNEUMONIA

                       Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

Inflamação do parênquima pulmonar causada por vários tipos de microorganismos e agentes químicos.
Causas

Bactérias -> pneumonia bacteriana por germes gram-positivos e gram-negativos.
Vírus -> pneumonia viral por vírus da influenza, parainfluenza e adenovírus.
Fungos -> pneumonia fúngica por cândida albicans e aspergillus.
Protozoários -> p. Parasitária por pneumocistis carinii: pacientes de AIDS.
Obs.: fungos e protozoários são considerados germes oportunistas, causam pneumonia após extenso uso de antibióticos, corticóides, antineoplásicos, ou em pessoas com AIDS, ou intensamente debilitadas.

A pneumonia também pode resultar de:

Aspiração brônquica de líquidos, alimentos, vômitos, etc,
Inalação de substâncias tóxicas ou cáusticas, fumaças, poeiras ou gases.
Complicação de imobilidade ou de doenças crônicas.

Classificação:

Adquirida na comunidade (até 48h);
Adquirida no hospital (depois de 48h);
No hospedeiro imunocomprometido;
Por aspiração.

Sinais e sintomas

Febre (40°),
Dor torácica,
Dispnéia,
Calafrios,
Cianose, tosse dolorosa e produtiva,
Escarro ferruginoso,


Cefaléia,
Náuseas,
Vômitos,
Mialgia,
Artralgia,

Lábios e Língua ressecadas.

Complicações

Derrame pleural**,
Abscesso,
Empiema**,
Hipotensão,
Bronquite crônica,
ICC.
Pneumonia Adquirida na Comunidade
 definida por aquela que acomete o paciente fora do ambiente hospitalar, ou que surge nas primeiras 48 horas, a partir da data de admissão.
Sinais e Sintomas


Início súbito de febre,
Calafrio,
Dor torácica,
Tosse com expectoração purulenta,
Cefaléia,
Astenia,
Anorexia.


A radiografia do tórax é imprescindível  no manejo das pneumonias, não somente  como elemento diagnóstico, como também, para  a avaliação da extensão do comprometimento  pulmonar e de sua gravidade; identificação  de complicações; monitorização da evolução  e da resposta ao tratamento.

Tratamento:

A escolha do antibiótico deve ser, sempre que possível, dirigida especificamente ao agente etiológico, mas isso raramente é disponível na avaliação inicial.
 Devem ser tratados ambulatorialmente os pacientes que não apresentam marcadores de gravidade. A maioria dos pacientes com PAC pode ser tratada em regime domiciliar.

Resposta Terapêutica
 Deve ser avaliada após três a cinco  dias de tratamento, quando há melhora  dos parâmetros:
 Clínicos – tosse, dispnéia, febre;
 Laboratorial – normalização ou melhora de leucócitos;
 Radiografia de Tórax – piora na 1ª semana.

Cuidados de Enfermagem

Oferecer e encorajar a ingestão de líquidos (6 a 8 copos ao dia);
Estimular mudança de decúbito de 2/2 horas, quando o cliente apresentar bom nível de consciência;
Encorajar mobilização no leito e atividade física conforme tolerado;
Orientar ou apoiar o tórax do cliente durante a tosse;
Fazer avaliação respiratória pela ausculta;
Incentivar a prática da respiração profunda e tosse eficaz.
Aspirar naso e orofaringe a intervalos curtos.
Orientar e encorajar o cliente a repousar o máximo possível;
Observar alterações na FR, FC, ocorrência de dispnéia, palidez ou cianose e disritmia, durante a atividade;
Avaliar o nível de tolerância do cliente a qualquer atividade.
Boa noite!!!!!

0

ENFISEMA PULMONAR

Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

Distensão anormal dos espaços aéreos distais aos bronquíolos terminais, com destruição das paredes alveolares.
É o estágio final de um processo que progrediu por muitos anos, onde ocorre a perda da elasticidade pulmonar.

ENFISEMA PULMONAR

A função pulmonar, na maioria dos casos, está irreversivelmente comprometida.
 Ao lado da bronquite obstrutiva crônica é a principal causa de incapacidade.

Causas

 Tabagismo;
 * predisposição familiar ;
 * sensibilidade a fatores ambientais (fumaça  do fumo, poluentes aéreos, agentes infecciosos,  alérgenos).
Fisiopatologia:

Espaço morto (áreas pulmonares onde não há troca gasosa);
Comprometimento da difusão de oxigênio;
 hipoxemia;

casos graves – eliminação do dióxido de carbono comprometida – aumento da tensão de dióxido de carbono no sangue arterial (hipercapnia) – acidose respiratória.
Sinais e Sintomas:

Dispnéia lenta e progressiva,
Tosse,
Anorexia e perda de peso,
Infecções respiratórias frequentes,
Tempo expiratório prolongado,
Tórax em barril.

ENFISEMA PULMONAR
 Tratamento:
Broncodilatadores,
Antibióticos,
Cortiesteróides,
Oxigenoterapia,
Inaloterapia.


Complicação: Cor pulmonale (insuficiência cardíaca direita).

Cuidados de enfermagem - Bronquite Crônica, Enfisema Pulmonar e Asma


- Repouso em ambiente arejado e limpo;
- Incentivar a ingestão de líquidos;
- Manter o ambiente calmo e tranquilo;
- Verificar e anotar a temperatura de  4/4 horas;
- Incentivar o paciente a evitar o  fumo;
- Evitar o ar poluído e atividades  físicas;
- Umidificar o ambiente de repouso com  H2O fervente;
- Usar lenços de papel na eliminação  de secreções;
- Oferecer uma dieta nutritiva; (dieta  livre);
- Administrar aerosolterapia, distante das  refeições;
- Administrar oxigenoterapia (CPM).

Não deixem de estudar as doenças toda elas, em urgência ou não você vai precisar,saber para uso profissional ou não você vai precisar pense nisso principalmente nos cuidados de enfermagem,todos temos um enfermeiro oculto!
Beijos no coração!


0

ASMA

                                  Sistema respiratório (Voltado para clinica médica)           


Boa noite!
Dando enfase ao sistema (respiratório)estou aqui com mas uma das doenças respiratórias

ASMA


Doença inflamatória crônica das vias aéreas, resultando em hiperatividade dessas vias, edema de mucosa e produção de muco. A inflamação é difusa e leva a episódios recorrentes dos sintomas.


Ocorre a diminuição do calibre dos brônquios e bronquíolos devido broncoespasmo, edema e produção de muco espesso.


Processo reversível;
Pode ser incapacitante ou levar à morte, nos casos mais graves.
Sinais e sintomas


Tosse,
Enrijecimento do tórax,
Sibilos,
Dispnéia,
Cianose,
Taquicardia,
Sudorese,
Ansiedade,
Agitação.
Fatores de risco


* A alergia é o principal fator  predisponente;
* Exposição crônica a irritantes aéreos  ou alergênicos, condições ambientais;
* Odores fortes; estresse;
* Sinusite; desgaste emocional;
* Tabagismo.


Evolui para o estado asmático (crise  grave e persistente que não responde  à terapia convencional).


Tratamento


Broncodilatadores – salbutamol;
Corticoesteroídes – prednisona, hidrocortisona.
Oxigênio;
Magnésio;
Cuidados gerais.
Prevenção e orientação:


* Não fumar;
* Evitar mudanças bruscas de temperatura;
* Evitar contato com pessoas portadoras  de doenças respiratórias;
* Tomar de 6 a 8 copos de  água/dia;
* Controlar-se emocionalmente;
* Evitar inalação de inseticidas, desodorantes,  tintas, etc.

Beijos no pulmão,quero dizer coração!
0

BRONQUITE

Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)

Sistema respiratório

Ola boa noite!
Mas uma doença do sistema respiratório  e mas um bom resumo de grande ajuda.

BRONQUITE

Pessoal lembrem-se dos termos técnicos e dos prefixos e sufixos tudo que termina com" ite" significa  inflamação
É a inflamação da mucosa brônquica, caracterizada por produção excessiva de secreção da mucosa na árvore brônquica.Tosse produtiva que dura 3 meses em cada 2 anos consecutivos, em paciente que tem outras causas excluídas.
FATORES DE RISCO


O fumo é o principal fator de risco;
Inalação de fumaça de fumo;
Poluição do ar;
Exposição ocupacional a substâncias perigosa suspensas no ar. Aumenta à susceptibilidade a infecção do trato respiratório inferior. As crises são mais frequentes durante o inverno.
SINTOMAS: tosse com produção de catarro, expectoração espessa e gelatinosa, sibilos e dispnéia.


DIAGNÓSTICO:
Exame clínico;
RX;
Espirometria;


TRATAMENTO:


Broncodilatadores,
Antibióticos,
Corticoesteróides,
Oxigenioterapia,
Inaloterapia.

E bom entender todas as doenças sendo da área de saúde ou não, a fins de ajudar o próscimo ou a si mesmo.
Essa matéria clinica medica e muito interessante da para aprender sobe as doenças enfim eu gosto de saber a respeito e tenho um bom entendimento espero que possa ter ajudados com mas essa postagem,alguma duvida estarei sempre por perto,beijos no coração!


0

DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA (DPOC)

Sistema respiratório(Voltado para clinica médica)
Ola pessoas,boa tarde!
Vamos conhecer hoje doenças do sistema respiratório,uma por uma, assim fica mas fácil o seu entendimento e aprendizado.
Bora ao que interessa?